ilustração de um supervisor de segurança de trabalho com um checklist

Veja os principais itens de um checklist de segurança no trabalho

Powered by Rock Convert

Na área de segurança no trabalho é importante avaliar se pessoas, equipamentos, ferramentas, locais e métodos de trabalho estão de acordo com as especificações e requisitos de segurança estabelecidos para cada processo. Mas você sabe como fazer um checklist?

Esse é um problema que muitas vezes aparece. Além disso, o profissional responsável por essa prática nem sempre tem um conhecimento aprofundado sobre o assunto, o que pode gerar distorções e prejuízos.

Neste post, vamos falar sobre a importância de realizar as verificações por uma lista de checklist. Também vamos indicar o que é essa prática, trazer alguns exemplos e mostrar o que você deve levar em consideração na hora de fazer esse serviço.

Então, que tal saber mais sobre o assunto? Confira!

O que é o checklist de segurança no trabalho?

A segurança do trabalho é um item extremamente importante para qualquer empresa, porque ajuda a evitar acidentes, que podem ser até fatais.

Mas para que se consiga ter mais eficiência nessa área, é importante trabalhar com um checklist, que, em tradução literal, é uma lista de verificação.

Entendendo esse conceito, podemos chegar à conclusão de que o checklist é uma prática detalhada que avalia diferentes procedimentos, locais de trabalho e equipamentos a fim de que os requisitos de segurança sejam cumpridos.

A partir dessa análise, tem-se a certeza de que os processos estão seguindo as diretrizes estabelecidas o que aumenta a qualidade de vida no trabalho e a segurança do funcionário.

Por que é importante fazer um checklist?

A própria explicação do conceito de checklist de segurança do trabalho já indica a importância dessa prática.

Afinal de contas, é por meio dessa avaliação que se consegue identificar riscos, verificar o cumprimento das normas de segurança e evitar que algum acidente ocorra devido à negligência.

Os principais objetivos desse serviço, portanto, são:

  • Identificação dos riscos que existem no cumprimento da função;

  • Verificação da obediência às condições de segurança predeterminadas;

  • Impedimento da ocorrência de acidentes e outros eventos prejudiciais ao trabalhador e à própria empresa.

Em resumo, o checklist serve para verificar as condições de determinados equipamentos, máquinas e ferramentas e para avaliar se todos os requisitos para a execução de determinada tarefa estão sendo cumpridos.

Por exemplo: por meio dele consegue-se saber se o colaborador está utilizando todos os equipamentos necessários (ou seja, os equipamentos de proteção individual, EPIs) para garantir sua segurança.

É importante lembrar que o uso de EPIs varia conforme a função, mas são sempre obrigatórios a fim de evitar imprevistos.

O que deve ser levado em consideração na hora de montar um checklist?

Cada profissão e cada tipo de trabalho tem suas particularidades. Por isso, a checklist considera questões diferentes. Algumas delas são:

Checklist de máquina

Nesse caso, devem ser consideradas algumas avaliações, que estão sempre relacionadas a máquinas. Por exemplo: abastecimento de combustível, o freio, as luzes e outros elementos necessários para que a máquina funcione da melhor forma possível.

Checklist de ferramentas

Deve-se verificar se a ferramenta está funcionando normalmente para o propósito a que se destina ou se precisa de reparos.

Por exemplo: uma tesoura que não esteja funcionando adequadamente deve ser encaminhada para o reparo e/ou ser substituída. Assim, o colaborador não corre o risco de sofrer algum acidente ao realizar uma utilização incorreta.

Checklist de equipamentos

Todos os EPIs devem ser verificados. Isso inclui a verificação de: luvas, capacetes, sapatos, aventais, óculos, entre outros.

Cada um desses objetos obrigatórios deve ser avaliado para que se constate a possibilidade e a viabilidade de sua utilização.

Por exemplo: luvas furadas devem ser descartadas e trocadas por pares novos. Já os capacetes devem ser certificados pelo Inmetro.

Checklist de procedimentos

Toda atividade possui procedimentos-padrão. Eles são necessários para executar determinadas tarefas e também podem ser verificados com a check list para identificar alguma falha na prática estabelecida.

Como fazer um checklist?

O primeiro passo para elaborar um checklist é identificar quais requisitos devem ser cumpridos no exercício de cada atividade. Isso pode incluir apenas a utilização de EPI ou abranger também a verificação de procedimentos, ferramentas e máquinas.

A partir daí, o checklist é elaborado para que as condições de trabalho possam ser analisadas. O ideal é documentar tudo, pois em caso de problema ou acidente, é possível verificar se todos os requisitos foram avaliados e cumpridos.

Outras dicas que você deve seguir para fazer o checklist são:

Planeje

Bons resultados só são atingidos quando você planeja suas ações. Isso também é necessário para o checklist, seja para sua elaboração, seja para sua aplicação.

Use formulários

Os formulários podem ser utilizados como guia para fazer o controle dos requisitos de segurança e para embasar a verificação que você vai fazer.

Mantenha os formulários como editáveis

Você pode até cogitar trancar o arquivo do formulário para evitar que outra pessoa faça modificações. Mas no decorrer do planejamento você pode identificar outras necessidades.

Por isso, é melhor deixar o arquivo como editável para fazer ajustes e modificações sempre que necessário.

Identifique requisitos

O checklist deve conter os requisitos de cumprimento obrigatório. Isso deve ser definido de acordo com a legislação e as exigências da sua empresa.

Esteja de acordo com as especificações técnicas

Diversos equipamentos e máquinas contêm especificações de fábrica, que devem ser respeitadas para que o objeto seja utilizado da melhor forma possível.

Essas especificações devem constar no checklist, para que você não as esqueça e o resultado do seu processo seja ainda melhor.

Atente-se aos detalhes

Cada ação a ser executada deve ser detalhada. Quando mais foco você tiver aos detalhes, mais vai poder analisar de forma consciente todos os elementos e partes que compõem o processo.

Atualize o checklist

O checklist não deve ser um documento fixo. Na realidade, é mais do que importante estabelecer uma periodicidade para que ele seja revisto. A ideia aqui é adicionar novas práticas e rever aquelas que já existem para melhorá-las.

Faça e refaça

O checklist deve ser aplicada com frequência para aumentar a segurança no trabalho. Dessa forma, consegue-se assegurar que todos os equipamentos estão sendo eficientes e que as regras de segurança estão sendo seguidas pelos colaboradores.

Atualmente já existe um software capaz de automatizar esse processo. Ele ajuda a otimizar o processo de verificação e ainda contribui para a redução do gasto com utilização de papel.

Quais são os exemplos de checklist?

Existem diferentes exemplos de checklist. Tudo depende daquilo que você está pretendendo analisar.

Em qualquer dos exemplos, vale a pena fazer o planejamento, como já indicamos, e considerar aspectos de segurança do trabalho que estejam de acordo com as Normas Regulamentadoras (NRs).

Com uma tabela simples, você pode criar o formulário, que contém os itens do checklist. Cada um deles deve ser categorizado como:

  • Conforme: está dentro do padrão esperado;

  • Não conforme: está fora do padrão esperado;

  • Não aplicável: o item não se enquadra à realidade da empresa.

Nesse formulário, alguns elementos importantes que devem estar incluídos são:

  • Nome da empresa;

  • Data;

  • Área que está sendo avaliada;

  • Sinalização dos extintores;

  • Uso, guarda e conservação de EPI;

  • Aviso de não fume em locais inflamáveis;

  • Treinamento admissional;

  • Uso do EPI pelos colaboradores;

  • Validade dos extintores;

  • Instalações elétricas;

  • Instalações sanitárias;

  • Livro da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes)

  • Alarmes de incêndio.

É importante destacar que algumas dessas atividades devem ter rotina diária, enquanto outras devem ter avaliação mensal ou semanal. Isso também deve estar especificado no formulário.

Quais são os modelos de checklist?

Assim como os exemplos, existem diferentes modelos de checklist. Dois dos principais são:

Checklists de afirmação

Procuram fazer uma afirmação positiva quando a execução segue os padrões esperados ou negativa quando não está conforme os padrões estabelecidos.

Checklists de conformidade

Usam os formulários como guia para verificar se a situação está em conformidade, ou seja, se segue os padrões, ou se está em inconformidade.

Apesar de existirem esses dois modelos, não existe um formato padrão, porque cada empresa e profissional deve adaptar o checklist conforme sua necessidade, objetivos e conhecimento.

Nesse cenário, é bem comum encontrar checklists com 4 colunas, sendo que a primeira contém a descrição dos elementos que serão verificados e as outras 3 contemplam a orientação, que pode ser:

  • Sim, não e não aplicável;

  • Conforme, não conforme e não aplicável.

Formatos de checklists específicos

De acordo com a área de atuação do negócio ou do setor que está sendo analisado, um formato de checklist diferente deve ser adotado. Veja algumas possibilidades a seguir:

Lojas

Estabelecimentos comerciais como as lojas requerem avaliações específicas. E isso também pode variar conforme o ramo de atuação. Por exemplo: quem trabalha com alimentos tem mais exigências do que aqueles que vendem roupas.

De modo geral, um checklist para lojas contempla os seguintes elementos:

  • Validade: checa se há produtos vencidos;

  • Prevenção de perdas: verifica se os produtos estão corretamente empilhados, para evitar que caiam e quebrem ou estraguem;

  • Atendimento: identifica se o cliente foi bem atendido, cumprimentado, etc;

  • Armazenamento e temperatura: analisa se os produtos estão bem acondicionados;

  • Higiene: analisa a limpeza, possíveis riscos de contaminação etc;

  • Segurança: identifica a existência de EPI e se os colaboradores estão usando os equipamentos de forma adequada;

  • Qualidade: avalia se os produtos seguem peso, tempo de exposição e textura conforme o esperado;

  • Métodos de trabalho: checa se esses métodos são feitos de forma condizente. Por exemplo: se o açougue mói a carne na frente do cliente;

  • Equipamentos: verifica se precisam de manutenção, se estão quebrados, se precisam passar por manutenção ou revisão etc.

Segurança do trabalho

A segurança em qualquer empresa (seja uma indústria, seja um escritório ou outro tipo de negócio) requer que diferentes elementos sejam analisados, como já ficou evidente.

Para ficar mais claro, a ideia é que você faça as seguintes perguntas a si mesmo:

  • Os procedimentos para garantir a saúde e a segurança dos funcionários foram realizados? Todos conhecem suas funções e as responsabilidades dos colegas em relação a esse quesito?

  • Quais são os deveres exigidos pela legislação de segurança do trabalho? Eu tenho todo esse conhecimento? Se não tiver, já contratei um especialista para que isso seja assegurado?

  • Todos os riscos principais foram identificados e as medidas necessárias para sua redução foram realizadas?

  • Os equipamentos passam por manutenção de forma adequada e no prazo correto?

  • Os funcionários possuem EPIs e foram treinados para utilizar esses equipamentos?

  • Os colaboradores têm treinamento para agir em casos de emergência e sabem dos possíveis riscos que correm em suas funções?

  • Os funcionários são consultados sobre problemas de segurança e saúde, inclusive a respeito de políticas, mudanças de procedimentos e equipamentos que devem ser utilizados?

  • Os trabalhadores sabem de que forma podem reportar possíveis falhas de segurança e acidentes a seus superiores?

  • São adotadas ações pontuais e imediatas para investigar erros, acidentes e problemas que sejam reportados por funcionários?

  • O ambiente de trabalho passa por inspeções regulares? Existe supervisão para assegurar que os trabalhadores sigam os procedimentos de segurança, incluindo o uso de EPIs?

  • A empresa possui a possibilidade de revisar os riscos, a política de segurança e outros procedimentos?

A partir da resposta a esses questionamentos, o checklist de segurança do trabalho torna-se mais eficiente.

Escritórios

Os escritórios também requerem checklist, especialmente para garantir que o trabalhador tenha boas condições de trabalho.

Nesse caso, alguns dos itens que devem ser analisados são:

  • Se a cadeira é estofada;

  • Se o estofamento tem espessura e maciez adequada;

  • Se o tecido da cadeira permite a transpiração;

  • Se a altura da cadeira é regulável;

  • Se a regulagem pode ser facilmente acionada;

  • Se a altura máxima tem compatibilidade tanto para pessoas altas quanto para baixas;

  • Se a largura da cadeira tem uma dimensão adequada;

  • Se o assento está em forma plana;

  • Se os braços da cadeira têm altura regulável.

Esses são apenas alguns dos itens que podem ser verificados no checklist. A ideia foi você entender que, dependendo da atividade, o checklist é bastante diferente.

Agora que você já sabe como fazer um checklist, como é feito esse processo de verificação de segurança no trabalho na sua empresa? O processo já é padronizado? Não deixe de compartilhar suas experiências e opiniões conosco deixando seu comentário! Ou solicite uma demonstração da Checklist Fácil, uma plataforma de aplicação de checklists eletrônicos customizável.

13 Replies to “Veja os principais itens de um checklist de segurança no trabalho”

  1. Boa tarde, muito esclarecedor esse post, poderia enviar mais assuntos relacionados a segurança e saúde do trabalho. Obrigado.

  2. sou tecnico de segurança do trabalho queroum check liste para padronizar minha vistoria em empresas melhorando e valorizando minha profissão por favor me ajudem.
    obrigado,
    fiquem com Deus.

  3. Gostaria de saber se dentro da norma fala alguma coisa sobre o Checklist em maquinas e equipamentos. Gostaria de saber se ele é obrigatório…

  4. Muito bom o material, utilizarei no trabalho de consultoria. Gostaria de saber se os amigos tem disponibilizado em sua biblioteca, check list NR 12 completo para o trabalho de analise de risco, se tiver e puderem compartilhar, ficarei muito grato. Obrigado!

    1. Olá, finalidade de fiscalizar a segurança dos trabalhadores e atuar na prevenção de acidentes e doenças do trabalho. Se o veículo traz risco de acidente aos colaboradores, é função da CIPA evitar que algum acidente aconteça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This