As 4 melhores práticas de atuação e controle do consultor de campo.

Consultor de campo: 4 melhores práticas de atuação e controle

O consultor de campo é um dos personagens centrais nas franquias: é dele a responsabilidade de fazer a ponte direta entre franqueadora e franqueada, alinhando processos, detectando problemas e sugerindo melhorias para que cada unidade atinja todo o seu potencial.

Para chegar a todos esses objetivos, portanto, ele precisa alinhar boas práticas de ação e controle. Neste post, vamos mostrar 4 atitudes que vão potencializar a atuação de um consultor de campo. Confira!

1. Abertura ao diálogo

O consultor de campo não é um auditor, um profissional destacado pela franqueadora unicamente para avaliar se determinada unidade está mantendo o volume de vendas adequado, respeitando as normas de segurança e os demais padrões de uma rede de franchising.

Afinal, embora ele esteja ali para avaliar cada um desses aspectos, ele também é responsável por ajudar o franqueado a atingir os objetivos predeterminados. Por isso, antes de falar, ele precisa estar aberto para ouvir as dificuldades e dúvidas do cliente.

Afinal, embora dados e números sejam importantes, eles não podem substituir completamente uma conversa direta com o cliente no compartilhamento da situação de uma franquia.

2. Métodos de análise

Nós falamos que saber ouvir e conversar com o franqueado é importante. Mas isso não significa que a consultoria deva prescindir do uso de dados e números. No entanto, é preciso coletar essas informações de maneira qualificada.

Em geral, as redes franqueadoras têm uma série de padrões estéticos e administrativos que devem ser respeitados. Portanto, uma boa maneira de verificar se uma das unidades segue os parâmetros preestabelecidos é por meio de um checklist.

A boa notícia é que existem ferramentas tecnológicas que podem ajudar nessa tarefa, fazendo com que seja possível realizar essa tarefa por meio de um smartphone ou tablet, sem a necessidade de conexão com a internet. Assim, o consultor de campo cumpre sua tarefa sem precisar recorrer a papéis ou às burocráticas planilhas.

3. Entrega de relatórios

Feita a análise, é preciso transformar o seu diagnóstico em um relatório preciso e completo, informando tanto à central da rede de franquias quanto ao proprietário de uma das unidades sobre os acertos que precisam ser reconhecidos e os erros que necessitam ser corrigidos.

Para realizar esse passo de maneira correta, ele precisa estar firmemente amparado no passo anterior, ou seja, um diagnóstico feito corretamente é o primeiro passo para a entrega de um relatório eficiente.

Também nessa etapa, a tecnologia pode e deve ser sua aliada. É possível integrar o seu checklist com a geração automática de um relatório, agilizando o trabalho e garantindo que pontos importantes não sejam negligenciados.

4. Proposição de soluções

Por fim, vale ressaltar uma das funções mais importantes de um consultor de campo, que é sugerir soluções de melhoria para o seu cliente. Essa tarefa essencial de controle, no entanto, deve ser feita com cuidado e objetividade.

Mais uma vez, tudo parte dos dados e do diálogo estabelecido com o franqueado. Para sugerir um novo treinamento para equipe, por exemplo, é preciso comprovar que a ação é necessária, mostrando dados como, por exemplo, um tempo de espera de clientes na loja muito longo.

As soluções sugeridas, mesmo as obrigatórias, devem seguir a mesma ideia de diálogo aberto que pautou o primeiro tópico. Dessa forma, os franqueados entendem que não se trata apenas de uma ordem vinda da rede, mas uma oportunidade de ganhos para todos.

Quer aprimorar a atuação do consultor de campo? Conheça sete ferramentas que podem melhorar o trabalho desse profissional!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This